14 de setembro de 2018

A paciência da raiva

O Ártico? Totalmente relacionado com a Mata Atlântica. Vale do Ribeira? Quase Nunavut… Inuit? Irmãos de alma dos Quilombolas… Fiquei convencida disso ao ver um documentário na Mostra Projeta: Filmes do Quebec, intitulado “A raiva […]
1 de junho de 2018

As cantinas do meio do mundo

Meu encanto pelas cantinas pode ser dividido em três grandes fases. A primeira remonta a minha infância profunda, quando eu tinha uns 3 ou 4 anos e frequentava o jardim da infância da minha quadra. […]
7 de maio de 2018

A expansão da maternidade como estratégia para mudar o mundo

Digam o que quiserem, mas não há dúvidas que a maternidade é uma experiência que coloca a mulher em xeque e faz com que ela pense e repense sobre tudo e qualquer coisa. Muitas perguntas, […]
7 de fevereiro de 2018

Dizem que você é o que você come… então quem é você?

Já foi o tempo, onde se podia comer inocentemente. Talvez, pensando bem, esse tempo nem tenha existido… Mas de qualquer forma, a inocência, se esteve um dia presente, foi sendo perdida aos poucos… Começou, possivelmente, […]
8 de dezembro de 2017

As dobras do tempo

Numa campanha muito instigante, focada no preconceito contra os índios no Brasil, promovida pelo Instituto Socioambiental (se você não viu ainda, clique aqui e veja antes de continuar a ler esse texto, pois o spoiler […]
23 de setembro de 2017

Ligações perigosas e divisões traiçoeiras

Há divisões que parecem inofensivas, mas podem se revelar traiçoeiras. Um desses casos é a divisão do Brasil em biomas. Não há dúvidas que todas as divisões carregam dentro de si uma dose de arbitrariedade […]
7 de agosto de 2017

Para Riobaldo, com amor…

Caminhei no sertão de Riobaldo e de Diadorim… andei pelo Cerrado com outros olhos, vi nas paisagens modificadas, um sertão que não é mais infinito, mas que guarda o infinito dentro de si…  De lá, […]
19 de junho de 2017

Das medidas provisórias ao veto provisório

Não é novidade, já estava no Manifesto Comunista, publicado há mais de 150 anos: tudo que é sólido, desmancha no ar.  Se fosse pouco, os filósofos da modernidade, como Zygmunt Bauman, apontam a fluidez e […]